Adolescência

Ao ver este filme da Campanha da real beleza dos produtos Dove, eu fiquei pensando na minha adolescência.

Minha adolescência não teve nada a ver com as adolescências de hoje.
Não gritava com meus pais nem os tratava com falta de respeito.
Não ficava nem namorava apesar de ser apaixonada pelo menino que jogava tênis em frente à minha escola.
Não tinha a minha turma.
Minhas amigas eram minhas primas, minha irmãzinha e uma tia que é um ano mais velha que eu.
Mesmo assim, as brincadeiras se limitavam em esconde-esconde, brincar de casinha, desenhar bonecas em caixas de sapato[pra ficarem firmes], recortá-las, e fazer roupinhas de papel de revista[pra não ter que pintar e aproveitar páginas coloridas], pra ‘vestir’ essas bonecas.
Brincar com a Suzy e fazer roupinhas pra ela.
Brincar de desfile de moda sem nem ao menos se importar se era gorda, e nem excluir alguma prima por ser gordinha.
Brincar de professora e também de mamãe e filhinha com as bonecas ‘Meu bebê’ e ‘Nenenzinho’.

Isso nem parece adolescência.
Mas era.
Era a minha adolescência.
Eu tenho certeza de que não era uma adolescência normal.
Mas eu gostava e muito!
Não queria namorar, só ficar escrevendo bilhetinhos.
Não me preocupava com cortes de cabelo, nem com maquiagem a não ser nas brincadeiras de desfile de ‘moda’.

E agora, nem preciso ir longe.
Dentro da minha casa, tenho uma adolescente que é totalmente diferente de mim na sua idade – 12 anos.
Exceto por concordar comigo de que ainda é muito nova pra ficar/namorar, ela tem muitas neuras quanto ao cabelo, corpo e sair com amigas que eu não tive.

Outro dia nos preparando pra sair ela veio com a conversa:
– Mãe.
– Oi filha.
– Eu não vou mais.
– Porquê não?
– Ah…tipo…Não tenho roupa, tô gorda, meu cabelo ta ruim…

Eu jamais pensaria numa resposta dessa.
Eu jamais me preocuparia com meu cabelo, colocaria qualquer roupa e nunca acharia que minha cintura tinha gordurinhas.

Quase todos os dias tenho que conversar com ela sobre anorexia, pois ela sempre me pergunta se o que preparei para o almoço engorda.

As exigências dela quanto ao cabelo são:
– ‘Quero fazer luzes’, ‘mãe, que tal uma escova definitiva?’ e ‘quero fazer canecalón nas férias’, ‘deixa a minha franja em paz, mãe!’.

As minhas eram:
– Colocar um grampo do lado esquerdo pra tirar a franja do olho e um rabo de cavalo.

Quanto às roupas e os sapatos ela quer:
– All star, calças jeans, baby look com mensagens, e nike.

As minhas:
– uma bermuda bem confortável e uma camiseta sem manga pra que pudesse correr, brincar, sentar pular muro, subir em árvores e ainda suportar o calor de 35 graus de Teresina, e chinelas havaianas.

Ela não grita comigo, e me respeita.
Conversamos sobre tudo, ela me conta tudo eu escuto e dou conselhos, ela faz uma cara de que são conselhos caretas, mas acaba por segui-los. Se não segue algum, depois vem me contar os resultados e dizer que deveria ter feito *diferente*. [*Diferente é o modo como eu disse pra ela agir.*]

Ela curte atrizes adolescentes como Hillary Duff , as gêmeas Olsen e outras.
Essas têm uma influência muito grande sobre minha filha e sobre adolescentes de hoje.
O pior é o fato de elas não serem mais adolescentes!
O fato da anorexia e de toda a maquiagem, do envolvimento com drogas e de serem ‘editadas’ como no filme da real beleza de dove.

É claro que eu e minha filha sabemos que a maioria das modelos passam pelo photoshop, mas vendo o pescoço sendo esticado e o formato dos olhos alterados entre outras coisas, é fácil ficar horrorizada.

Deveria haver uma conscientização de que as modelos de beleza não são perfeitas e passam pelos mesmos dramas que todas as meninas sofrem, e o pior, têm que ser exemplos a serem seguidos.

Eu espero que a minha filha não siga os exemplos das modelos, mas faça seu próprio estilo de corpo, maquiagem, cabelo. Que se aceite e se ame aproveite a adolescência, que assim como a infância, passa rápido.
Muito rápido!

Anúncios

6 comentários sobre “Adolescência

  1. Tenho 48 anos e fui criada por um pai maravilhoso 53 anos mais velho… e ele tinha esta mesma conversa, embora nao tenha sido uma filha malcriada etc.Aos 12 anos… os hormonios fervem, temos tudo em cima e achamos que nao temos nada.Dialogo, saber ouvir, e a unica forma de equilibrarmos.Gostei de seu blog.Tenha uma boa semana

  2. Ai que legal, muito bom, eu tambem amo brincar de boneca, casinha, comidinha, correr, subir em arvores… Mas tambem me preucupo com meu corpo e minha beleza, nada exagerado, mais amo brincar, tenho namorado, faço de tudo um pouco ao mesmo tempo….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s